- page 2

Mosteiro da Batalha abre espaço expositivo na antiga cozinha conventual

A exposição “11 compositores no mosteiro” marca o início do novo uso para a antiga cozinha conventual, que durante os últimos anos acolheu a loja do monumento.
Com a inauguração da nova loja do Mosteiro da Batalha, em julho de 2022, “ficou livre esse magnífico espaço que é a primitiva cozinha conventual”, explicou à agência Lusa o diretor, Joaquim Ruivo.
“É também o espaço do Mosteiro mais acolhedor, menos influenciado pelas humidades e diferenças de temperatura” e, por isso, aquela divisão é a “ideal para acolher, ao longo de todo o ano, exposições que, por força das circunstâncias, dificilmente tinham cabimento. De pintura e fotografia, por exemplo”, afirmou.
Num monumento onde “todos os espaços são relevantes”, tanto sob o ponto de vista artístico ou arquitetónico”, como “pelo uso que lhes era dado no tempo da vida conventual”, a cozinha surge como um dos destaques.
“A cozinha, naturalmente, era um lugar especial, por todos os motivos. Hoje, livre do mobiliário da loja, é um espaço que nos impressiona pelo seu depuramento, pontuado pelos armários embutidos nas paredes, pelo que resta da chaminé, onde se atesta um evidente saber fazer”, descreveu Joaquim Ruivo.
A sala destaca-se sobretudo pela referida chaminé, na qual, uma secção significativa da parede, “para acomodar as elevadas temperaturas, foi construída com fiadas alternadas de pedra e tijoleira”, sistema que pode hoje ser analisado e contemplado.
Neste renovado espaço do monumento tutelado pela Direção-Geral do Património Cultural pretende-se, a partir de agora, apresentar exposições de natureza variada, como pintura, fotografia, “pequena escultura e também de objetos de arte”.
“Abre-se, com este espaço, a possibilidade de parcerias com museus, porque aí podemos acolher, em condições de temperatura e de segurança, diversas exposições temáticas que até agora não podiam ser realizadas no Mosteiro”, frisou o diretor.
Para abrir o novo espaço foi escolhida a exposição “11 compositores no mosteiro”, que inaugura no sábado, às 15:00, e fica patente até março.
Segundo Joaquim Ruivo, a temática da música “tem um enquadramento muito feliz no espaço do Mosteiro” e também “remete para toda uma vivência da juventude do autor: para além da sua ligação à pintura, foi bailarino do Grupo de Bailados Verde Gaio no Teatro de São Carlos, tendo paralelamente executado cenários e figurinos”.

Coisas do corisco

Caros amigos leitores cá estou eu de novo com as minhas coisinhas, neste ano novo de 2023.
Queria começar por vos falar da Carla Oliveira, conceituada e muito professional jornalista da Televisão e da Rádio Canadá. É sempre com muito orgulho que ouço e vejo no telejornal quando a senhora Carla Oliveira está de serviço.
Infelizmente não temos muitos dos nossos presentes nas médias canadianas ou mesmo em política, contrariamente a outras etnias imigrantes neste lindo Canadá, já há muito que estava para falar neste assunto, está feito.
Outra coisa, li na La Presse uma entrevista com Stéphane Bureau em que ele dizia fazer algumas compras na mercearia Sá e Fils, que não precisa de apresentação, todos nós conhecemos as delícias que se vende neste comércio da rua St- Urbain ao canto da Villeneuve.
Isto é que são umas asseadissimas coisas para a nossa comunidade. Esta agora é de menosprezar as nossas ilhas, mas existem certas pessoas que quando abrem a boca ou entra mosca ou sai ignorância, foi o viu a uma tipa, uma antiga enfermeira mas tornou-se a cozinheira Luizinha, dizia que eu que esta espécie rara foi para televisão botar faladura sobre a Ilha de São Jorge no Açores que fazia tanto ventos fortes de tal maneira que arrancava as novidades plantadas na terra, as batatas saíam da terra com raízes e rama e era um tal chover de batatas na ilha, as persianas das casas também não resistem aos ventos, é só ver stores de janelas também a voar devido aos ventos, a dita cuja até diz que em São Jorge pôr a lenha no forno é diferente da maneira do Retângulo Português, as criptomerias são altas de 90 metros e mais, a Ilha é em forma de um charuto… talvez ela estava a pensar num antigo presidente dos Estados Unidos, esta chefe cozinheira internacional nunca falou nos deliciosos queijos de renome internacional, mais conhecidos por queijo de São Jorge, talvez que quando lá viveu estava muito ventos que os queijos andavam a voar, tal disparate dizer tanta mentira em poucos minutos. Então vocês já sabem, em São Jorge não compremos batatas, elas vão cair do céu na vossa cozinha.
“Quando as pessoas não conseguirem te manipular, elas vão tentar manipular os outros para que pensem mal de você”, Autor desconhecido.

Artigo Escrito por José de Sousa

FIM DO ANO NO ORIENTAL

Depois de dois anos a família Orientalista festejou o fim do ano com uma boa música de Júlio Lourenço e vários artistas da nossa Comunidade.
O Presidente Gilberto Alves desejou um BOM ANO 2023 a todos os presentes. O jantar foi servido com boa música, braços no ar, chegou o 2023 com uma grande alegria abrindo as garrafas de champanhe, com muitos abraços e beijos desejando uns aos outro um ano muito melhor com muita saúde, paz e amor depois de uma caminhada de dois anos com muitos obstáculos.
O baile foi até de madrugada.
O Oriental está de parabéns e lembra para dar continuação a estas festas teremos ser unidos na próxima Assembleia que será no dia 27 de janeiro 2023. São todos bem-vindos a vir e dar uma mãozinha no nosso clube.
PARABÉNS AO CLUBE ORIENTAL E VIVA O ORIENTAL.

Um Grande Réveillon do Grupo Folclórico e Etnográfico Português de Montreal

O Grupo Folclórico & Etnográfico Português de Montreal, realizou na sala de festa da Igreja St. Enfant de Jesus, a sua festa de fim de ano, chamada de reveillon, numa sala a rebentar pelas costuras, como diz o povo pleno de pessoas radiantes por se atenderem a um novo ano.
A sala bem decorada para este lindo evento marcante na comunidade, digamos que foi mais uma reunião de “familias portuguesas” com os valores que nós são próprias tal como fraternidade, solidariedade, amizade e respeito pelo próximo. Este ano devem ser afirmados com maior frequência no nosso quotidiano, vividos com maior intensidade.
No plano gastronómico foi um nunca mais acabar de excelentes iguarias, devendo-se muito a excelente equipa da cozinha chefiada pela Sra. Cristina Antunes e toda a equipa administrativa.
Estão de parabéns pelo excelente trabalho não esquecendo o grupo de jovens que serviram ao longo de toda a festa,.
Depois do jantar e ao longo do mesmo intervalado houve musica para todos os gostos proporcionada pelo excelente DJ Fábio Bastinhas, vindo de Portugal.
Dois anos sem ter nada,… foi um bem de Deus que alguém pensou a nossa comunidade para realizar uma festa digna para a comunidade.
Ao mesmo tempo quer convidar todos os comerciantes a vir a vossa festa, o Folclórico & Etnográfico Português de Montreal pensou aos comerciantes e querem agradecer todos os organizsmos que ajudaram este lindo grupo para vir e festejar, uma festa dedicado a todos os comerciantes da nossa comunidade.
O cartaz está nesta linda página, e só chamar e reservar. A Voz de Portugal estará presente nesta festa

Morreu a cantora Linda de Suza. Tinha 74 anos

A cantora Linda de Suza, intérprete de êxitos como “Um Português (Mala de Cartão)”, morreu hoje, aos 74 anos, devido a “insuficiência respiratória” na sequência de uma infeção por covid-19, anunciou o agente à agência France-Presse. A artista estava hospitalizada no hospital de Gisors, em l’Eure.
Linda de Suza, cujo nome de nascimento era Teolinda Joaquina de Sousa Lança, teve vários êxitos na sua carreira, entre os quais a canção “Mala de Cartão”.
Nascida há 74 anos em Beringel, no concelho de Beja, emigrou em 1970 para França, onde fez carreira na área da música.
Linda de Suza estreou-se como cantora no restaurante Chez Loisette, em Saint-Ouen, a cerca de 6,5 quilómetros a norte de Paris, onde foi descoberta pelo compositor André Pascal (1932-2001) que a apresentou, posteriormente, ao compositor Alex Alstone (1903-1982).
A etapa seguinte foi a apresentação da cantora na televisão, no programa “Rendez-Vous du Dimanche”, de Michel Drucker, onde interpretou a canção “Un Portugais” (Vine Buggy/Alex Alstone), cujas vendas do ‘single’ atingiram o Disco de Platina em França em 1979.

A cantora assinara, entretanto, contrato com a discográfica Carrere, depois de recusada pela Barclay, e estava lançado o mote da sua carreira com “Um Português (Mala de Cartão)”, na qual cantou os lamentos da saudade de quem deixou o país, seguindo-se o ‘single’ “Uma moça chorava”.
Linda de Suza tornou-se a cantora da comunidade emigrante portuguesa, cantando as suas dificuldades e saudades do país distante, em temas como “J’ai deux pays pour un seul coeur” ou “La Symphonie du Portugal”. No seu repertório incluiu temas do cancioneiro popular, nomeadamente “Lírio Roxo” e “Malhão, Malhão”, e gravou “Coimbra/Avril au Portugal”.
A cantora atuou em Portugal, em 1979, e continuou a bater recordes de vendas na década de 1980, publicando o álbum “Amália/Lisboa” e ‘singles’ como “Canta Português”, “L’Etrangère” ou “Comme Vous”.
A sua história foi adaptada à televisão, numa minissérie intitulada “Mala de Cartão” (1988), protagonizada por Irene Papas (1919-2021).
Na década de 1990, Linda de Suza deu ainda voz a sucessos como “Simplement vivre”, “Tu seras mon père”, “Pars sans un adieu” e “Tiroli, Tirola”.
Do seu repertório fazem parte “Holà! La Vie”, de sua autoria com música de Jean Schmitt, “La Tristesse ne fait de bien à personne”, de sua autoria com música de Vine Buggy, “Rien n’arrête le bonheur”, “Mulher, ó Mulher”, “No olhar do homen que nos ama”, “Les oeillets rouges”, “C’est toi que j’attendais”, “Orfeu Negro”, “Maria Dolores”, “Canta Shimilimila” ou “Nasci para cantar”
A cantora passou por vários contratempos pessoais, que tiveram eco na imprensa: em 2010, tornou públicas as suas dificuldades financeiras e acusou o companheiro de lhe roubar a identidade; na época, afirmou que vivia com cerca de 400 euros mensais, todavia, Linda de Suza voltou aos palcos e, entre 2014 e 2017, realizou várias digressões.
Em 2020, apresentou um novo projeto, “Postais de Portugal”, com qual preparava uma nova digressão que a pandemia de covid-19 obrigou a cancelar.
O Presidente da República evocou a cantora Linda de Suza como “exemplo de determinação” e “um ícone francês da imigração portuguesa e, portanto, um ícone de Portugal”.
Numa nota publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, o chefe de Estado refere que “Teolinda de Sousa Lança, que ficou conhecida artisticamente como Linda de Suza, foi uma figura a vários títulos emblemática”.
“Fica na nossa memória como exemplo de determinação e de fidelidade. Foi um ícone francês da imigração portuguesa e, portanto, um ícone de Portugal. A seu filho e netos apresento as minhas sentidas condolências”, acrescenta Marcelo Rebelo de Sousa.
Nesta mensagem de pesar, realça-se que Linda de Suza acompanhou “uma das maiores vagas migratórias portuguesas”, ao emigrar para França em 1970, onde “procurou melhor sorte”.
Chegou a França “já mãe” e lá se tornaria “a portuguesa” por excelência, “dado o seu sucesso como cantora a partir do final da década de 70, que lhe proporcionou discos de ouro e platina e concertos no Olympia”, em Paris.
Linda de Suza manteve “sempre explícitas, nos muitos álbuns e singles que gravou, as referências ao seu país de origem e à sua odisseia pessoal”, simbolizadas na expressão “mala de cartão”, acrescenta-se na nota.

Ronaldo: «Este contrato é único porque eu também sou um jogador único»

O internacional português Cristiano Ronaldo não se mostrou minimamente preocupado com as críticas à mudança para o futebol saudita na apresentação como reforço do Al Nassr. O avançado de 37 anos garantiu que este passo não significa o fim imediato da carreira e destacou a competitividade da liga da Arábia Saudita.
«Muitas pessoas falam e dão opiniões mas não sabem nada de futebol. O futebol mudou desde há 10/15 anos, é diferente, todas as equipas estão preparadas. Dou o exemplo do Mundial: a única equipa que ganhou aos campeões [Argentina] foi a Arábia Saudita, não se esqueçam disso. Tivemos muitas surpresas, como a Coreia do Sul, as equipas africanas ou a Costa Rica, todas fizeram um grande trabalho. Não é fácil vencer nenhum jogo hoje em dia. As equipas estão preparadas, o futebol é diferente», começou por sublinhar.
«Vir para a Arábia Saudita não é o fim da minha carreira, quis mudar e não me preocupo com o que dizem, tomo as minhas decisões e estou muito feliz por estar aqui. As pessoas não sabem, mas vi vários jogos e sei que a liga é muito competitiva. O que quero é jogar e já depois de amanhã [quinta-feira, frente ao Al Tai], se o treinador me der a oportunidade. Mas estou pronto para me divertir e jogar futebol», acrescentou.
Sobre o contrato milionário que estabeleceu com o Al Nassr, que a imprensas saudita e espanhola revelam ser de 200 milhões de euros por ano, Ronaldo vincou que só um jogador à sua altura merece tais números.
«Sou um jogador único. É bom vir para cá, bati todos os recordes lá [na Europa] e quero bater alguns aqui também. É uma boa oportunidade, este contrato é único, porque eu também sou um jogador único. Para mim é normal», rematou.

Natal dos Avôs e netos

O Natal dos Avôs e netos em benefício da Rádio Centre-ville 102.3FM organizado pela Equipa Lusófona da Rádio Centre-Ville teve lugar no Clube Portugal de Montreal domingo 18 de dezembro às 15h.

A Marta Raposo ofereceu as boas-vindas a todos os presentes, a Clementina Santos apresentou a Equipa Lusófona e falou um pouco da história da Rádio Centre-ville, a colaboração da Equipa Portuguesa na Rádio Centre-ville desde 1975.

O evento contou com a participação de Alexia Martins que abriu o evento com músicas do Natal, a Isabel Santos contou uma história de Natal aos mais pequeninos, e a Gabriela Almeida Pereira que nos encantou com a sua maravilhosa voz. Partilhamos uma tarde de amizade entre amigos e familiares.

A Equipa Lusofina da Radio Centre-ville agradece ao Clube Portugal de Montreal pelo generoso donativo e apoio. Muito obrigada aos artistas Alexia Martins, Gabriela Almeida Pereira e Isabel Santos, e a todos pelo carinho e solidariedade com a nossa rádio.

Feliz Natal e Próspero Ano Novo com muita saúde e paz são os votos da Equipa Lusófona da Rádio Centre-ville.

Mensagem de Natal de Sua Excelência o Presidente da República para os leitores do jornal A Voz de Portugal

Caras e Caros Compatriotas,
Uma vez mais neste mês de dezembro, dirijo-me a Vós pelas páginas do jornal A Voz de Portugal, um jornal feito por portugueses, para portugueses.
O ano que agora termina tem sido um ano desafiante para todos os compatriotas, em Portugal e naquele que tenho designado como o nosso espaço espiritual, ou seja, o mundo, onde quer que se encontre um português. De facto, é essa dimensão global que nos tem desafiado, saídos que estávamos dos meses de confinamento e pandemia, entrámos em 2022 confrontados com uma guerra em solo europeu, mas com efeitos de escala mundial, em todas as economias e sociedades.
Mais uma vez, a grande família portuguesa mobilizou esforços e vontades para ajudar as principais vítimas desse conflito: as famílias ucranianas obrigadas a fugir de suas casas, de suas cidades, do seu país. Recebi inúmeras manifestações de entreajuda, chegando relatos de muitos e inspiradores atos de cidadania e solidariedade de compatriotas espalhados pelo mundo, reafirmando uma vocação de que é nossa, de abertura e diálogo entre oceanos e continentes.
O ano que se avizinha não deixará de trazer novos e ambiciosos reptos. Desde logo no compromisso de combate às alterações climáticas, mas também na recuperação económica e social, na transição digital e na defesa dos valores democráticos de que nos orgulhamos de cultivar e devemos cuidar. 2023 será o ano das Jornadas Mundiais da Juventude em Lisboa, e também o ano em que levaremos a celebração do 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas aos compatriotas que vivem e trabalham na África do Sul, como já aconteceu em Londres, Cabo Verde, Boston, no Brasil e em Paris. São desafios mobilizadores e desafios que permitirão o reencontro sempre esperado entre compatriotas, seja no nosso espaço físico ou fora das suas fronteiras.
Agradeço, por fim, à Comunidades a oportunidade de, através das suas páginas, Vos transmitir votos de um Feliz Natal e de um Ano Novo cheio de esperança.
Marcelo Rebelo de Sousa
Lisboa, Palácio de Belém, Dezembro de 2022

Messi como Maradona

36 anos depois, a Argentina é campeã mundial!
(Pausa para respirar fundo)
Numa final épica, provavelmente a melhor de que há memória, a albiceleste desperdiçou uma vantagem de dois golos, deixou escapar o triunfo no prolongamento, mas agarrou o título nos penáltis (4-2).
Dibu Martínez travou um penálti de Coman enquanto Tchouaméni atirou ao lado. A seleção das «Pampas» converteu todos – Montiel foi o autor do remate decisivo.
Com a conquista da taça, Messi subiu, por fim, ao Olimpo do futebol e conquistou, por unanimidade, um lugar à direita de D10S. O capitão maradoneou neste Mundial, como disse Valdano, e consagrou-se (para quem achava necessário) como o melhor jogador de todos os tempos.
A Messi lo vas a ver
La copa nos va a traer
Em 2014 os argentinos cantavam que Messi lhes ia trazer a Taça. Foram precisos mais oito anos, mas «La Pulga» cumpriu o prenúncio. Liderada pelo capitão, a Argentina foi sempre uma equipa que emocionou as suas gentes pela forma como jogou: com sangue nos olhos, insuperável na vontade e na energia.
E ganhou. Talvez por Maradona, por Messi ou por um país inteiro que esperou o que pareceu uma eternidade desde que o génio de «El Pelusa» se soltou no México’86. Certo é que a albiceleste foi muito melhor que a França.
Y al Diego, en el cielo lo podemos ver,
con Don Diego y con la Tota,
alentándolo a Lionel
Scaloni recuperou Di María para a equipa inicial e juntou-o com Alvárez e Lionel Messi no ataque. No fundo, o selecionador argentino agarrou-se ao jogador mais decisivo da história recente da seleção – resolveu a final olímpica em 2008 e Copa América em 2021, além ter marcado também na Finalíssima. E foi por aí, que o campeão sul-americano começou a superar o exército gaulês.
A primeira parte dos argentinos roçou a perfeição. Os gauleses sentiram muitas dificuldades para travar o adversário e viveu momentos de sufoco. Valeu-lhes a perdida de Di María logo aos 17 minutos. O extremo da Juventus, porventura um dos mais subvalorizados da sua geração, conquistou um penálti volvidos quatro minutos – o árbitro considerou falta de Dembélé. Messi, no dia em que se tornou no jogador com mais jogos em Mundiais, fez tranquilamente o 1-0. Sexto golo e liderança isolada na lista de melhores marcadores do torneio. A vencedora da Copa América continuou com a corda toda e assinou uma jogada que respeitou a estética e o bom futebol: tudo a três, dois toques até à finalização certeira de Di María na cara do guardião francês. Deschamps nem esperou pelo intervalo: tirou Dembélé e Giroud e lançou Thuram e Kolo Muani. Apesar das trocas, a final parecia resolvida ao intervalo.
Na segunda metade, a Argentina voltou a entrar por cima e continuou a banalizar a campeã do Mundo. Porém, nunca se deve subestimar o coração de um campeão. Num ápice, Mbappé liderou a revolução francesa: o prodígio do PSG aproveitou um penálti cometido por falha imperdoável de Otamendi para fazer o 2-1 e volvidos dois minutos, fez um belo golo.
A final ficou virada do avesso.
Já sem Di María em campo, a Argentina foi abaixo, caiu e parecia sem forças para se levantar. Por outro lado, a França atacava com tudo e parecia mais perigosa do que nunca. Martínez impediu que Rabiot consumasse a reviravolta e na resposta, Messi viu Lloris adiar-lhe a possibilidade de ser herói. O jogo seguiu para prolongamento e a albiceleste voltou a agigantar-se. Lautaro Martínez falhou a melhor oportunidade da primeira metade do tempo extra na cara do guarda-redes gaulês. Mas pouco depois, o 3-2 apareceu mesmo. Lloris ainda evitou o golo do avançado do Inter, mas foi impotente para travar a finalização de Messi na pequena área. A França teve sete vidas e recuperou do duro golpe aplicado por «La Pulga». Quem mais além de Mbappé, por muitos apontados como o herdeiro do «Rei» Pelé. Novamente de penálti, desta vez por braço na bola de Montiel, o avançado fez o 3-3 e chegou ao oitavo golo na prova. Assinou um hat-trick e igualou o feito de Geoff Hurst em 1966. Os minutos finais agarraram-nos como nunca. Se Martínez fez uma defesa brutal com o pé no frente a frente com Kolo Muani, Lautaro fez lembrar a versão de Higuaín na final de 2014 e falhou uma excelente ocasião no lance imediatamente seguinte.
Nos penáltis, ganhou a Argentina – a melhor equipa.

Telma Madeira uma das favoritas à conquista do Miss Universo 2022

Desde que foi eleita Miss Portugal Universo 2022, Telma Madeira tem vindo a ser apontada pela imprensa internacional, como uma das favoritas à conquista da coroa do Miss Universo 2022.

Telma Madeira é uma jovem de 22 anos, residente na Póvoa de Varzim e desde muito jovem que assistia ao Miss Universo, idolatrando as candidatas participantes. Nessa altura, Telma era uma adolescente com falta de auto confiança, sofria de bullying na escola, mas ainda assim, conseguiu encontrar motivação nas palavras do Pai que lhe dizia, que um dia seria ela a estar no palco do Miss Universo.

Em 2017, Telma participou na Primeira Fase de seleções do Miss Queen Portugal, onde viria a ser eleita Miss Póvoa de Varzim 2017. No mesmo ano, foi eleita Miss Queen Portugal 2017 e simultaneamente Miss Earth Portugal 2018. Após um ano de preparação, Telma viajou até às Filipinas para representar Portugal no Miss Earth (um dos maiores certames de beleza em todo o Mundo) e classificou-se no Top 8.

É ainda Hoje, a Portuguesa mais bem classificada em concursos de beleza do Grand Slam.

Para além da participação no Miss Earth 2018, Telma venceu o Miss Mediterranean 2018 no Chipre, ficou no 4º lugar do Miss Global City 2019 na China e tem feito diversos trabalhos de moda, apresentação e publicidade, em Portugal e no exterior.
A Miss Universe Portugal 2022 Telma Madeira, foi selecionada pela Organização CNB Portugal, que em 2022 celebra o 10º aniversário do Miss Queen Portugal e contará com uma digressão nacional por todos os Distritos de Portugal Continental, Açores, Madeira e Comunidades Portuguesas de França, Suíça e Estados Unidos da América; e culminará na Final Nacional que se realizará no dia 5 de Novembro em Viana do Castelo.

Telma Madeira fará também parte dessa digressão nacional, na qual dará um workshop às jovens participantes.

O Miss Universo 2022 será a 71ª edição do concurso de beleza Miss Universo, a ser realizado no New Orleans Morial Convention Center em Nova Orleans, Louisiana, Estados Unidos em 14 de Janeiro de 2023.Harnaaz Sandhu da Índia coroará sua sucessora no final do evento.

Aller en HAUT